Palavra do Presidente

                                                O BRASIL MEU E SEU   

Maurilío Pereira Alvim

Para nós brasileiros, 2015 economicamente falando foi um ano perdido. Havia uma esperança de retomada de crescimento projetada para 2016, que provavelmente não estará acontecendo no primeiro semestre, diante da demora das mudanças e ajustes que ainda não aconteceram neste ano. A economia deixou de ser prioridade em Brasília, e passou a ser coisa de segundo plano para aqueles que foram eleitos com o discurso de defender o nosso país.

A classe política que aí se apresenta é uma das mais inescrupulosas que este país já conheceu. Corrupção é só a ponta do problema. A falta de atitude política em favor de fazer o país progredir, favorecimentos e manutenção de cargos a fim de se livrar de cassação de mandato, estão matando a nossa economia. A frase do “quanto pior melhor” nunca foi posta tanto em prática como neste ano de 2015.

Sabemos que, ajustes fiscais estão caindo sobre nossas costas, porém se não for assim que nos apresente um novo plano para sairmos desta estagnação que nosso país se encontra, por que se isso não acontecer, o que estamos sentindo no nosso bolso hoje, vai ser pequeno diante desta incerteza para 2016.

Diante deste quadro, todos nós trabalhadores temos que nos perguntar para quem estamos votando? Qual está sendo a cobrança política que eu estou exercendo no meu dia a dia? Porque só vendo noticiários e lendo jornais com dizeres muita vezes direcionados para este ou aquele partido, as mudanças que queremos não vão acontecer nunca.

Para enfrentarmos 2016, não é muito diferente do que o governo precisa fazer no Brasil, nós também teremos que reduzir custos domésticos, usarmos bem o pouco dinheiro que recebemos no final do ano, principalmente quitando as nossas dívidas.

Vamos enfrentar o ano novo de mãos dadas e exercendo a política que todos os brasileiros sempre tiveram de sobra. ”A CORAGEM.”

Um Feliz Natal e Próspero Ano Novo a todos os que acreditam no nosso Brasil.